x

Este website utiliza cookies. Ao utilizar este website, você está aceitando nossa Política de Privacidade.

kits para teste lal metodo turbidimetrico

20th May 2018

Kits para o teste LAL pelo Método TurbidimétricoA marca PYROSTAR possui diferentes kits para realizar o teste LAL, ou seja, a detecção de endotoxinas bacterianas. Alguns destes kits são projetados para ser usados por métodos turbidimétricos de análise. O sinal analítico mensurável e quantificável através desses kits é a turbidez formada na solução.

Ao aplicar a turbidimetria como técnica analítica nos testes de LAL, a transmitância de luz que passa através de uma solução é medida, devido ao fato de que isso diminui proporcionalmente à quantidade de endotoxinas presentes. Este método é baseado na turbidez gerada na solução ao começar a se formar a coagulina, proteína insolúvel responsável pelo surgimento de um gel no tubo onde o teste está sendo realizado. Tendo padrões de endotoxina, podemos medir a turbidez por um método espectrofotométrico e essa medida nos permite quantificar a quantidade de endotoxinas. Uma das vantagens deste método é que os ensaios podem ser executados, de forma confiável, em uma ampla gama de concentrações de endotoxinas, podendo construir padrões de curvas que chegam até 100 unidades de endotoxinas por mililitro de solução.

Os kits da marca PYROSTAR para executar o teste LAL usando a turbidimetria, são rápidos e permitem realizar o teste em temperaturas mais altas do que as habituais. O Teste Limulus ES-II e o PYROSTAR™ ES-F/Plate Reagent são um exemplo desses kits e destina-se a serem utilizados em laboratórios de pesquisa e não como métodos de diagnóstico.

Além disso, a PYROSTAR desenvolveu um equipamento fotométrico que funciona como um leitor de placa e é útil para medir a velocidade da mudança na turbidez da solução no teste de LAL, o Toxinometer® ET-6000. Com este equipamento, pode-se ler as placas quando se utiliza o Kit PYROSTAR™ ES-F/Plate. Para executar esses testes, uma curva de calibração é construída, que deve cobrir entre 10 unidades menos e 10 mais de endotoxinas que a quantidade estimada nas amostras. Além disso, para garantir medidas de qualidade suficiente, medem-se controles positivos e negativos e todas as amostras são medidas em duplicata. Após a adição do reagente PYROSTAR™ ES-F/Plate nas amostras, os dados são medidos a cada 40 segundos, em 405 nm e à temperatura de 37°C, de todos os poços da microplaca. Com o leitor de microplacas, a turbidez das amostras é monitorada e o tempo de aparecimento é determinado; assim, com os dados de transmitância obtidos, o software permite calcular a curva de regressão e determinar a concentração de endotoxinas. Este já possui adicionado o Curdlan (β-1,3-glicana), cuja função é eliminar a interferência deste tipo de compostos no teste. Outro dos reagentes necessários para realizar estes testes é a Endotoxina de Controle Padrão, obtida a partir de cepas de E. Coli UKT-B, que serve como um padrão para soluções controle e para obter as curvas de calibração. Uma vez reconstituído, o reagente só pode ser armazenado a 2-10°C durante 1 mês.

CONHEÇA ALGUNS ACESSÓRIOS DA MARCA PYROSTAR™

tubos de diluicao livres de endotoxinas Pacote de software Toximaster QC7 Placas de Wako BioClean®
Tubos de solução sem endotoxinas Pacote de software Toximaster QC7 Placas de Wako BioClean®

Lisa
Por: Lisa Komski