×

Este website utiliza cookies. Ao utilizar este website, você está aceitando nossa Política de Privacidade.

Onde e por que o teste LAL é realizado?

8th February 2018

Onde e por que o teste LAL é realizado? O teste LAL (acrônimo de Limulus Amebocites Lisate) é um teste de determinação de endotoxinas bacterianas usando um lisado de amebócitos do caranguejo Limulus. Neste teste, as reações que ocorrem no lisado de amebócitos são exploradas, como conseqüência de um mecanismo de defesa do caranguejo na presença de endotoxinas, e que terminam com um processo de gelificação. Esses testes têm como mecanismos de detecção, por exemplo, o aparecimento do gel ou alterações de cor que ocorrem quando um cromóforo é adicionado no meio, de modo que ocorre uma alteração de cor associada às reações desencadeadas pelas endotoxinas.

Os testes LAL são nomeados de acordo com o mecanismo de detecção, como método Gel Clot, Método Cromogênico ou método Turbidimétrico. Por sua vez, esses métodos podem ser usados qualitativamente, quando o interesse do teste é saber se existem endotoxinas bacterianas em um meio, ou quantitativamente, quando é necessário conhecer a concentração de endotoxinas bacterianas presentes.

O teste LAL é realizado em vários ambientes, como a indústria farmacêutica, fábricas de dispositivos médicos, hospitais ou centros de pesquisa.  Na produção de medicamentos, e mais especificamente aqueles que serão administrados por via parenteral, é muito importante controlar a presença de endotoxinas bacterianas, pois no caso de o fármaco conter toxinas, elas chegariam diretamente na corrente sanguínea do animal ou da pessoa o qual é administrado. O teste LAL é realizado como método de controle de pirogênios em todas as etapas de produção dos fármacos e produtos biológicos, sendo o teste de escolha desde a década de 80 para controlar a qualidade desses produtos. Os ensaios clínicos que são feitos com a finalidade de determinar a presença de endotoxinas também usam o teste de LAL como o método de detecção das endotoxinas.

TAMBÉM PODE INTERESSAR-LHE: Determinação de endotoxinas no plasma sanguíneo pelo método de LAL

A necessidade de realizar o teste LAL reside na toxicidade das endotoxinas bacterianas. Estas toxinas presentes de forma endógena em bactérias Gram-negativas, ao formar parte da membrana das mesmas, são liberadas para o meio quando as bactérias morrem. As endotoxinas bacterianas são perigosas para os mamíferos, causam infecções que, em muitos casos, podem ser mortais. Devido à grande resistência destas toxinas, é necessário realizar o teste LAL em diferentes meios e ter muito controle de todos os ambientes onde podem ser propagados.

A divisão LAL de Wako oferece diferentes produtos para realizar o teste LAL pelos diferentes métodos pelos quais este teste é realizado. O Kit KY Color Limulus é o teste de Wako para determinar endotoxinas pelo método cromogênico; este teste pode ser feito através do método do ponto final ou do método cinético. O método turbidimétrico é usado nos Kits ES-F nos formatos que Wako tem à disposição dos clientes (Teste Limulus ES-2 e o PYROSTAR™ ES-F/Plate). Enquanto o Teste Limulus ES II de Wako é baseado no método Gel Clot. Com a seleção adequada desses kits, a determinação de endotoxinas pode ser realizada nos diferentes meios.

ACESSÓRIOS PARA O MÉTODO LAL

BioClean® Series Controle Padrão de Endotoxina (CPE) Tubos de diluição livres de endotoxinas
BioClean® Series Controle Padrão de Endotoxina (CPE) Tubos de diluição livres de endotoxinas

Lisa
Por: Lisa Komski