×

Este website utiliza cookies. Ao utilizar este website, você está aceitando nossa Política de Privacidade.

Envolvimento dos Lipopolissacarídeos no progresso da Nefropatia Diabética

26th September 2017

Os LPS no progresso da Nefropatia DiabéticaOs lipopolissacarídeos ou endotoxinas bacterianas (LPS) estão associadas a uma grande variedade de patologias. Algumas delas são, como discutimos anteriormente, a necrose tumoral, a neuro-inflamação, a bacteriobilia, doenças respiratórias, doenças das artérias coronárias, enterocolite necrosante neonatal, doenças neurodegenerativas, fibrose cística, doenças auto-imunes e até mesmo a infertilidade masculina.

Nesta edição, vamos discutir outra patologia que tem sido associada à atividade dos LPS, especialmente em pacientes com Diabetes Mellitus (DM). A DM é considerada como um grave problema de saúde devido à sua elevada permanência, às complicações relacionadas e aos custos que gera. É a principal causa de novos casos de cegueira em idade laboral e de amputações não-traumáticas e insuficiência renal (IR) terminal na população em geral, tendo o envolvimento renal um papel predominante.

A Nefropatia Diabética (ND) é uma complicação microvascular da DM, um transtorno ou patologia do rim, definida como albuminúria persistente em pacientes diabéticos sem outra evidência de doença renal ou do trato urinário, que evolui para IR progressiva. De acordo com vários estudos, este transtorno representa mais de 40% dos casos com IR crônica. Sua importância reside não só no envolvimento renal, mas na coexistência com o desenvolvimento da aterosclerose acelerada e um forte aumento no risco cardiovascular, entre outros fatores de risco.

Nos últimos anos, a pesquisa sobre a DM revelou a existência de um componente inflamatório ao encontrar níveis séricos elevados de vários marcadores pró-inflamatórios. Entre eles, o ácido siálico, fibronectina, fibrinogênio, PCR, fator de necrose tumoral alfa (TNFa) e as interleucinas IL-1, IL-6 e IL-18. Esta relação entre inflamação e as complicações da DM e, especificamente, o desenvolvimento da nefropatia, despertam um grande interesse nos pesquisadores. Do ponto de vista terapêutico, é muito interessante a participação dos mecanismos inflamatórios na patologia da ND, já que foi visto em estudos in vivo em ratos, que o uso de agentes imunossupressores com propriedades anti-inflamatórias pode prevenir o desenvolvimento de albuminúria, dano glomerular e hipertrofia renal. Com efeito, as medidas terapêuticas habituais são baseadas na modulação do componente inflamatório. Por exemplo, o uso de Pentoxifilina (PTF) em pacientes com ND reduz significativamente a excreção urinária de proteínas, atenuando a progressão da lesão renal através dos seus efeitos antiproliferativos, antifibróticos e anti-inflamatórios.

A isto é adicionado o fato de que os pacientes diabéticos são mais propensos a infecções do que os não-diabéticos. As infecções bacterianas induzem uma resposta inflamatória sistêmica, que pode causar danos graves nos órgãos ou mesmo a morte. Os LPS desempenham um papel central nas inflamações agudas e crônicas, já que desencadeiam a resposta imune inata. Em pacientes com DM, a longa duração da doença e o deficiente controle glicêmico aumentam o risco de infecções. Alguns estudos têm demonstrado que uma alta atividade de LPS no soro sanguíneo contribui para o desenvolvimento de microalbuminúria em pacientes com diabetes tipo 1. O colesterol HDL é um dos fatores -chaves envolvido na desintoxicação de endotoxinas e é sabido que diminui com a gravidade da ND, portanto, a relação LPS-HDL pode refletir a gravidade da condição.

O Lisado de Amebócitos Limulus(LAL) é a técnica através da qual pode-se medir a atividade de LPS no soro sanguíneo. O LAL é um extrato aquoso de células sanguíneas (amebócitos) de caranguejo-ferradura (Limulus polyphemus). O teste LAL para a detecção e quantificação de LPS bacterianos baseia-se na reação enzimática causada pelas endotoxinas e expressada pela coagulação do sangue de Limulus.

LEIA TAMBÉM: Compromisso da Wako para a Preservação do Caranguejo Ferradura

A empresa distribuidora de reagentes para pesquisa, Wako Chemicals, possui um catálogo que abrange uma série de reagentes e acessórios LAL que cumprem todas as normas, regulamentos e padrões de qualidade estabelecidos pelo FDA. Os reagentes da marca PYROSTAR™, como o Teste Único de Limulus PS, permitem a detecção e quantificação de endotoxinas sem a interferência de substâncias coexistentes mediante o uso de um adsorvente de afinidade para a endotoxina. A série PYROSTAR™ ES-F é uma nova preparação contendo CMD coliofilizado com o LAL para eliminar a interferência com β-glicanos e o Kit KY Color Limuluspara uma análise colorimétrica de alta sensibilidade, que incorpora um substrato sintético que produz uma cor amarela.

Além disso, os pesquisadores podem encontrar a Água livre de endotoxinas e o Controle padrão de endotoxina, a Solução extratora de endotoxina para testes de LALpara a extração de endotoxinas que não podem ser extraídas pela água ou solução salina, o Toxinometer ET-6000 com o software Toximaster QC7para um trabalho eficiente e uma análise de dados de alta qualidade, entre outros.

Bibliografia:

1) Ahola, A. J., Lassenius, M. I., Forsblom, C., Harjutsalo, V., Lehto, M., & Groop, P.-H. (2017). Dietary patterns reflecting healthy food choices are associated with lower serum LPS activity. Scientific Reports, 7, 6511.

2) Lassenius, M. I., Pietiläinen, K. H., Kaartinen, K., Pussinen, P. J., Syrjänen, J., Forsblom, C., e outros. (2011). Bacterial endotoxin activity in human serum is associated with dyslipidemia, insulin resistance, obesity, and chronic inflammation. Diabetes Care, 34(8), 1809-1815.

3) Navarro, J. (2003). Nefropatía diabética: ¿una cuestión de inflamación? Nefrología, 23(5), 381-389.

4) Nymark, M., Pussinen, P. J., Tuomainen, A. M., Forsblom, C., Groop, P.-H., Lehto, M., e outros. (2009). Serum Lipopolysaccharide Activity Is Associated With the Progression of Kidney Disease in Finnish Patients With Type 1 Diabetes. Diabetes Care, 32(9), 1689-1693.

LINHA DE PRODUTOS LAL:

PYROSTAR™ ES-F/Plate com CPE Solução extratora de endotoxina Toxinometer® Série ET-6000
PYROSTAR™ ES-F/Plate com CPE Solução extratora de endotoxina Toxinometer® Série ET-6000

Lisa
Por: Lisa Komski Em: Kit LAL