×

Este website utiliza cookies. Ao utilizar este website, você está aceitando nossa Política de Privacidade.

Métodos de detecção de endotoxinas

9th June 2014

Métodos de detecção de endotoxinasNas bactérias, como em todos os organismos vivos, se desenvolvem as reações bioquímicas de transformações de nutrientes conduzindo, finalmente, à formação das estruturas que a integram.

Estas reações é o que conhecemos como um metabolismo bacteriano, e faz parte do ciclo de vida: são recebidos nutrientes complexos que se transformam em biomoléculas mais simples que são usados como blocos estruturais no processo de multiplicação bacteriana.

E, em algumas dessas transformações as bactérias geram produtos que são tóxicos para os seres humanos. Entre eles estão os lipopolissacárideos (LPS), também reconhecidos como endotoxinas bacterianas, que estão localizados exclusivamente na membrana externa das bactérias Gram-negativas, demonstrando um elevado potencial tóxico que se conserva mesmo após a morte natural das bactérias. Estes compostos, descobertos por Richard Pfeiffer são formados por três domínios:

  • Uma fração lipídica chamada lípidio A
  • núcleo central é um oligossacárideo
  • antígeno O, de natureza polissacarídica

Estas endotoxinas bacterianas se caracterizam por atuar no lugar onde estão, seja em uma ferida contaminada, ou queimaduras, ou em casos de complicações da cirurgia abdominal, em mecanismos etiopatogênicos da doença periodontal, alguns distúrbios de doenças gastrointestinais, mediados por resposta inflamatória, tais como colite ulcerosa ou doença de Crohn, para citar apenas alguns de uma longa lista de muitos exemplos, em que a saúde humana é afetada e, em casos extremos, há até a morte do paciente.

Mas também atuam a uma distância ao atingir a corrente sanguínea, provocando uma miríade de respostas fisiológicas profundas formando parte da síndrome de resposta inflamatória sistémica (SIRS), que pode conduzir à insuficiência múltipla de órgãos. Mas, de forma mais simples, podemos encontrar estas toxinas, que são chamados pirogênios em medicamentos injetáveis e outros, em alimentos, como contaminantes que impedem a utilização de um produto.

Isso determina a necessidade de controlar a existência destes compostos, que por sua presença envolvem a rejeição do produto, com consequentes perdas econômicas; mas muito pior seria passar despercebido pelas implicações médicas e sociais envolvidas.

Nos últimos anos, com o avanço científico da indústria farmacêutica e biotecnológica as exigências sobre a qualidade dos produtos oferecidos têm aumentado, de forma que os reguladores dos produtos farmacêuticos exigem cada vez mais a aplicação do método do Lisado de Amebócito de Limulus (LAL), a fim de definir a ausência de pirogênios em produtos acabados, especialmente os de uso parenteral. A análise de pirogênio é um dos principais testes para o controle de qualidade na fabricação de medicamentos e de alimentos por seu impacto na saúde humana.

Assim, há um interesse contínuo e crescente no conhecimento e domínio dos métodos de detecção de endotoxinas bacterianas. Também foram aplicadas modificações tecnológicas e variações do método de LAL , como gelificação, métodos turbidimétricos e cromogênicos ou os mais recentes utilizados no estudo das contaminações de nanopartículas chamado TLR (toll-like receptor), entre outros.

NOSSOS PRODUTOS LAL

Solución Extractora de Endotoxina  Limulus Color KY Series Controle Padrão de Endotoxina
Solución Extractora de Endotoxina Limulus Color KY Series Controle Padrão de Endotoxina

Lisa
Por: Lisa Komski Em: Kit LAL